Mensagem Qui Set 22, 2011 2:22 pm

ESO anuncia a descoberta de 50 novos planetas extrassolares

Uma equipe de astrônomos europeus anuncia a descoberta de 50 novos planetas extrasolares, incluindo 16 Super-Terras

Essas Super-Terras não existem em nosso sistema solar, mas são comuns em torno de outras estrelas. Super-Terras são planetas com massa até dez vezes a massa do planeta Terra.

A descoberta desses planetas em zonas possivelmente habitáveis é um fator de relevância para os pesquisadores, pois se estes planetas apresentarem formações rochosas e presença de água poderá ser um indício de existência de vida.

“Estes planetas estarão entre os alvos principais dos futuros telescópios espaciais, que procurarão sinais de vida nas suas atmosferas, procurando assinaturas químicas tais como evidências de oxigênio,” comenta o astrônomo suíço Francesco Pepe do Observatório de Genebra (Suíça).

Um dos novos planetas anunciados denominado HD 85512, possui massa de 3,6 vezes a da Terra e situa-se na zona de limite da habitabilidade (zona estreita em torno de uma estrela na qual, se as condições forem corretas, a água pode estar presente sob forma líquida).

Um grande aliado dos cientistas nestas descobertas é o espectrógrafo HARPS denominado caçador de planetas extrasolares (ou extraplanetas), instalado no telescópio do Observatório de La Silla do ESO (Observatório Europeu do Sul) no Chile, liderado pelo astrônomo Michel Mayor da Universidade de Genebra (Suíça) um dos pioneiros na descoberta de exoplanetas.

Nos últimos oito anos, com observações de estrelas do tipo do Sol, o HARPS descobriu mais de 150 novos planetas, sendo cerca de um terço dos planetas com massas inferiores a do planeta Netuno (Netuno possui massa 17 vezes maior que a Terra).

O HARPS esta passando por um processo de atualização de hardware e software, focando sua procura para planetas rochosos que possam suportar vida: estará sendo selecionadas dez estrelas próximas e semelhantes ao Sol para um novo monitoramento.

Estes avanços tornam os astrônomos confiantes na possibilidade de descoberta de vida em outros planetas.

Novos instrumentos estão sendo projetados com objetivo de apressar estas descobertas; uma cópia do HARPS será instalada no Telescopio Nazionale Galileo (Itália) nas ilhas Canárias. O novo EXPRESSO (que será mais potente que o HARPS) deverá ser instalado no Very Large Telescope do ESO em 2016 e para um futuro mais distante o CODEX previsto para o European Extremely Large Telescope (E-ELT).

Michael Mayor conclui “nos próximos dez a vinte anos deveremos ter uma primeira lista de planetas potencialmente habitáveis na vizinhança do Sol”.

jornalciencia.com