Domingo,
21 de Dezembro
de 2014


Busca
Palavra chave




Design
Nova Onda
Comunicação
Ltda.


PHP Powered

 

anúncios

Casos

O caso das Máscaras de Chumbo

Autor: Roberto A. Beck
Data: 01/05/1999 - Horário: 00h09min

 (Click para ampliar)

 O dia 20 de agosto de 1966 marca uma data de mortes e mistério, possivelmente com participação de OVNI em seu desfecho.

Jorge da Costa Alves (18), subiu o Morro do Vintém para soltar pipa. Encontrou dois homens mortos. Aterrorizado, voltou para sua casa e, em poucos minutos, já estavam no local o corpo de bombeiros, policiais, perícias e imprensa.

Os dois corpos estavam próximos um do outro e já cheiravam mal.. Vestiam ternos e estavam deitados de costas, ligeiramente encobertos pelo mato. Sobre os corpos, capas impermeáveis. Nenhum sinal visível de violência, nem no local, nem nos corpos. Ao lado, uma garrafa de agua mineral vazia e um pacote com duas pequenas toalhas. No rosto dos cadáveres: MÁSCARAS DE CHUMBO. A polícia identificou-os pelos documentos encontrados: Manoel Pereira da Cruz e Miguel José Viana. Ambos técnicos em eletrônica residentes em Campos. Além das máscaras de chumbo foram encontrados indícios que complicavam ainda mais as circuntâncias. Uma agenda com sinais e números ao estilo de mensagens cifradas. Bilhetes, entre os quais um que dizia: "16:30 estar no local determinado. 18:30 ingerir cápsulas, após efeito proteger metais aguardar sinal máscara".

Saíram de Campos no dia 17, dizendo que iriam comprar material de trabalho. Um carro também estava em seus planos de compras e traziam Cr$N 2.300,00 (dois e trezentos cruzeiros novos), segundo testemunhas posteriores. O dinheiro não foi encontrado.

Todos os seus passos foram levantados pelos detetives fluminenses. Tomaram o ônibus às 9h e chegaram em Niterói às 14:30h. Compraram num armarinho as capas impermeáveis e num bar a água mineral (Casa Brasília, na rua Cel. Gomes Machado e bar São Jorge, à rua Marquês do Paraná). A moça que os atendeu neste último estabelecimento disse que Miguel parecia muito nervoso e toda hora olhava para o relógio. O tempo estava chuvoso e escurecia rapidamente. Dali foram direto para o local onde foram mortos. Isto no dia 17 de agosto de 66. Seus corpos só foram encontrados no dia 20.

Inicialmente a polícia pensava que eles vieram encontrar um terceiro personagem. Um dos bilhetes e o desapecimento do dinheiro reforçavam esta hipótese, mas, as máscaras de chumbo não combinavam com nada daquilo...

Quando encontrados, os corpos apresentavam uma coloração rosada. Um dos bilhetes falava em "proteger metais e aguardar sinais máscara". As máscaras estavam lá. Típicas para proteger os olhos contra luminosidade intensa, talvez calor exagerado ou mesmo irradiação. Isto tudo autorizava os detetives a pensarem, inclusive, em alguma atividade extraterrena. Estavam os técnicos pensando em contatos com extraterrestres?

Declarações de dona Gracinda Barbosa Cortino de Souza, e de seus filhos, que são moradores da região, afirmam que viram no dia 17, um disco voador sobrevoando o Morro do Vintém e que este permanecera ali por algum tempo, exatamente na hora prevista pelos peritos para a morte dos dois homens.

Que os rapazes viviam tentando contatos com seres extraterrestres, ou coisas de outro mundo, disto não se tem dúvidas. Eram dados a práticas místicas, faziam experiências estranhas e perigosas. Uma delas foi realizada na praia de Atafona, perto de Campos. Os dois falecidos mais outros dois companheiros de nomes Élcio Gomes e Valdir, provocaram um fenômeno que resultou numa tremenda explosão. Várias casas das redondezas ficaram ligeiramente danificadas e, durante algum tempo, não se falava em outra coisa na região. Surgiu até uma história de que um disco voador teria caído na praia.

Esta história e outras de igual calibre constam de depoimentos de várias testemunhas intimamente ligadas aos dois.

Neste famoso caso das MÁSCARAS DE CHUMBO, as hipóteses surgidas findam na não determinação da causa mortis. Autópsia e exames em geral não detectaram nenhum elemento tóxico ou estranho nos cadáveres. Afinal, o que eram aquelas cápsulas? Quem as forneceu? Quem as manipulou? São perguntas que, se respondidas, poderiam trazer muita luz ao caso. Mas até hoje o caso permanece um mistério. Foram feitas outras diligências, exumação dos cadáveres, novos exames, inclusive de radiação, ouvidas novas testemunhas em Campos e Macaé, outros levantamentos do local, mais minuciosos e cuidadosos. Contudo, nada mais foi encontrado. Nada que pudesse esclarecer aquelas mortes misteriosas do caso das MÁSCARAS DE CHUMBO...

Recentemente, diversas emissoras de televisão voltaram a tratar do tema em reportagens. Quase 23 anos depois do ocorrido, não houve qualquer pista esclarecedora. Embora envolto em mistério, as evidências apontam para uma ligação com discos voadores. Mas o mistério continua até hoje...

Ilustração: Valter Dionísio Alves



<- Voltar
Site melhor visualizado em resolução 800x600
Alguns Direitos Reservados: Nova Onda Comunicação(cc)1996/2011
Publicidade


Últimas atualizações
08/08/2011: Portal/Revista Vigília participa do programa Conexão Astral, no RJ
08/08/2011: Programa de TV mostra como (e por quem) foi feito o "OVNI de Embu"
26/07/2011: Mecânico teria assumido autoria do OVNI de Embu das Artes
25/07/2011: OVNI chama a atenção dos moradores de Embu e outras cidades da Grande São Paulo
19/06/2011: I Encontro de Ufologia de Pocinhos – PB
24/05/2011: Especialistas britânicos garantem que nova "alien interview" é falsa
24/05/2011: Nova versão para queda de UFO em Roswell liga nazistas a soviéticos
20/05/2011: Grupo "Anonymous" planeja falsos alarmes de UFOs

Últimos comentários

Receba Novidades do Portal/Revista Vigília por e-mail

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.